Inocência da Rebeldia



As ironias do destino são de facto de rir, de sorrir. De certa maneira elas mantêm-se rebeldes à humanidade e ao mesmo tempo reservam o pouco de humano que há nelas de forma inerente. Como quando queremos fugir ao facto de sermos o que somos para ser algo que o mundo impõe. E o mundo passa a vida a impor. A vida impõe-se. Talvez esteja enganada ao pensar que nos comanda ou talvez sejamos puros tolos ao pensar que mandamos nela. Mas ironias estão lá sempre, está lá como uma boa música que encontramos por acaso, como um amigo que nos liga, um amigo que não sabíamos ser amigo. E surpreendem-nos e arrastam-nos e deixa-nos pesados e de semblante carregado. Por vezes deixam-nos demasiado chocados para reagir, outras fazem-nos chorar, outras, ainda, gritar de vitória. Mas melhores são aquelas que apesar de todo o seu peso de uma pena, peso demasiado pesado, nos dão força e nos encontram coincidências na vida e entre vidas que nos fazem querer mudar este mundo, o nosso, o de alguém. Elas são más e sorrateiras, mas quem não encontra um sentido no mal? Quem não diz que há "males que vêem por bem"? Elas são como uma criança que partiu a jarra, ficou assustada e fingiu a sua inocência. E nós sempre sorrimos com uma criança traquina. As ironias do destino, esse que talvez exista, talvez não, são de facto daquelas pequenas coisas que se tornam grandes quando percebemos que a sua rebeldia é só mesmo uma voz que soa alto no ouvido e diz: segue em frente!

26 comentários:

  1. Tens aqui um lindíssimo blog... Estou a seguir-te!

    ResponderEliminar
  2. e espero que nunca sentas tal coisa. posso dizer que dói e não é pouco. obrigado pela força!

    ResponderEliminar
  3. maravilhoso como sempre e como se é de esperar! (:

    ResponderEliminar
  4. não tens de quê, meu amor. sempre aqui <3

    ResponderEliminar
  5. é tão bom estar de volta e ser "bombardeada" logo com um elogio desses :)
    gosto muito deste post, como outros de que ainda bem me recordo e já me fizeram chorar :)
    beijinhos :)

    ResponderEliminar
  6. "E o mundo passa a vida impor. A vida impõe-se." Muito bonito :)
    Rebeldia, é disso que as pessoas precisam. Contrariar o destino, sair da sua zona de conforto e perceber se as coisas são ou não melhores do outro lado. E se batermos com a cabeça na parede, bem - e é tão bom saber dizer isto mas não conseguir pôr em prática-, ao menos seguimos o nosso instinto e sabemos que realmente há coisas que não resultam de modo algum. Depois disso, é só voltar a seguir em frente outra vez, mas noutra direcção.

    ResponderEliminar
  7. Adorei!
    Seguir em frente é a coisa mais libertadora que nos pode acontecer :)

    ResponderEliminar
  8. Passei pelo teu outro blog e também está super giro, parabéns (;

    ResponderEliminar
  9. Ora essa! Pois é, é mesmo horrível!

    ResponderEliminar
  10. obrigada. não está nada demais, nada a que se compare tudo isto que escreves. escreves tão bem e só é pena que não o faças mais vezes, é pena sabes?

    ResponderEliminar

Lovers